Pernambuco Nação Cultural

Texto


Avançada

SONHO FERIDO

Deusa loura,

Não mais sonharei

O que doura

Os lindos raios de sol

Nas tardes de arrebol.



Nunca mais tocarei

Ao luar

Ou jamais cantarei

Outro olhar;

Nunca mais olharei

As flores

Ou jamais falarei

De amores;



Pois passaste

Com suavidade e calma...

Mas deixaste,

No fundo de minh’alma,

Uma chaga sem cura

Que, por loucura ou sorte,

Há de ser só a morte

Minha glória

E única ventura.

***

Baixar em formato PDF

Versão para impressão

O que achou deste texto?

Gostei

0 recomendações
1156 acessos

Neste espaço não serão permitidos comentários que contenham palavras de baixo calão, publicidade, calúnia, injúria, difamação ou qualquer conduta que possa ser considerada criminosa. A equipe do portal Pernambuco Nação Cultural reserva-se o direito de apagar as mensagens.









Esse conteúdo foi criado e postado por:

Gilmar Pereira Lima

Autorizado por:
Fundarpe

em 03.06.2010 às 11h18


Tags

morte, gloria, sonho, sorte, ventura

Direitos autorais:

  • Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil
  • Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil
  • Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil
  • Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil

Denunciar conteúdo impróprio

Lista completa


Conteúdo sob Licença Creative Commons