Pernambuco Nação Cultural

Vídeo


Avançada

Experimental: BarrOca: Retrato em Barro Digital

O que achou deste vídeo?

Gostei

356 recomendações
6678 acessos

39 comentários

Neste espaço não serão permitidos comentários que contenham palavras de baixo calão, publicidade, calúnia, injúria, difamação ou qualquer conduta que possa ser considerada criminosa. A equipe do portal Pernambuco Nação Cultural reserva-se o direito de apagar as mensagens.

  1. Emanuel Vital Falcão comentou:

    30.12.2008 - 00h12

    Maravilhoso o filme, ótima trilha sonora que se encaixa perfeitamente com as imagens psicodélicas.

  2. Ana Maria de Oliveira Torres comentou:

    06.01.2009 - 12h29

    Gostei bastante do vídeo.
    Para mim representa a Mão de DEUS criando o Mundo e o ser humano...
    ...Eva do barro!
    Excelente...
    PARABÉNS pelo brilhante vídeo.

  3. Maria Auiriliadora (dorinha) comentou:

    09.01.2009 - 18h48

    Lenisse antes de tudo um feliz ano novo, achei o seu vídeo simplesmente profundo, é como se as etapas d sua vida florescessem sucessivamente num
    crescer infinito, mostrando que tudo se renova a cada instante dentro de um poder invisível porem absoluto que é Deus. O seu vídeo mostra que somos a obra mais perfeita da criação, que se recria a cada instante, não foi por acaso que nos conhecemos naquela padaria feia que se tornou bonita pelo valor da nossa amizade.
    (o e-mail do meu filho)

  4. MESSIAS comentou:

    16.01.2009 - 14h30

    Arte contemporânea utilizando o barro em forma de Arte, retratando o tempo e os seus significados, e ao mesmo tempo, brincando com o barro, e o tendo como inspiração divina.
    Tenho conhecimento de alguns trabalhos da artista miultimídea Lenice Queiroga, a parabenizo por este que acabo de ver e admiro cada vez mais a importânc,ia dos seus trabalhos.

    Um abraço do amigo Messias
    CFAV-Centro de Formação em Artes Visuais

  5. Carluca Bompastor comentou:

    16.01.2009 - 19h43

    Muito pós-moderno, a este "vídeo-instalação" só cabem interrogações?
    No inicio tudo era barro?
    A pintura rupestre no ovo chocou o retrato em barro digital? O ovo não é oco, é barroco? é a oca?
    É o dedo Criador formando a criatura?
    Se fosse gente, seria a cabeça de João Batista numa bandeja? ou é apenas o repouso do anjo barroco (anja barroca?) no tacho de barro?
    Ai meu Deus, a boneca-escultura-estátua abriu o olho-vida!!!
    A boneca é da menina ou a menina é da boneca?
    Lembrança da mulher-escultura-estátua-criatura de qdo era (é) uma menina?
    A sincronia com a trilha sonora de a comuna, seriam interroçações na partitura?
    Carluca Bompastor - Artista plástico e cartunista q/ fez vinhetas p/ o plimplim da rede globo (a globo te faz de bobo?)

  6. jessica comentou:

    18.01.2009 - 14h42

    Bela viagem em busca da essencia da quela mulher menina ser. Belo visual.

  7. Léa Leite comentou:

    18.01.2009 - 20h54

    Me pareceu algo muito profundo... a infância é representada pela foto. O comentário artistico não posso fazê-lo, uma vez que tenho pouca noção nessa área, mas sei que deve ser valoroso esse seu trabalho, pois demonstra sensibilidade. Com certeza, trará frutos positivos. No mais, não sei se estou certa, observei nele o lado dramático da vida (também pela música), onde a foto da infância denota uma nostalgia, pois a passagem para a idade adulta do ser humano é sempre um "olhar para trás" procurando algo que se perdeu, ainda mais nessa demonstração do vídeo, já que "o barro" no rosto o deixa com ar de amadurecimento maior. Parabéns Lenice. Tudo de bom.

  8. João Fireman Dutra comentou:

    21.01.2009 - 00h08

    Lenice , tudo bem com vc ?

    A vida olhada por uma artista
    com olhos de uma criança.

    Um cheiro , João

  9. Gil Almeida. comentou:

    22.01.2009 - 00h37

    Que bom, muito boas essas representações... O jogo que elas provocam, o mistério que induz, o sinal de descobertas, o descortinar em toques, de pêlos, meio privado, meio íntimo, um certo temor, mas delicado, em medo para o que vem e ao mesmo tempo soando um sim ao som da comuna, propagando uma imagetica do primitivo, do natural, da mulher, da menina... A DESMUMIFICAÇÃO do ser, do barro. da memória, das infâncias de ontem e hoje.
    Que se vivam esses endereços, de lembranças, onde as buscas percorram corredores criativos e saiam de portas a fora e cheguem até nossas janelas, para que possamos perguntar? _ A boneca é de cêra, madeira... ou de barro?
    Muito bom seu trabalho, gostei muito, parabéns, viva o barro não é?
    Arte-educador e artista visual.

  10. Mª Antonieta Kreimer comentou:

    23.01.2009 - 17h57

    O vídeo inica com a infância da autora, e mesmo com a passagem para a fase adulta, continua com as suas raízes firmes. Vejo uma transcedência além do tempo...e também lembra umas furnas indígenas. A mão representa um apoio....uma preciosidade...um SAGRADO.
    Parabéns Lenice...até o próximo vídeo!!!

    Mª Antonieta Kreimer
    Arte-Educadora

  11. Marco Albertim comentou:

    24.01.2009 - 10h48

    Lenice
    O que ressalta em seu vídeo é a crueza das imagens. A plasticidade é densa, marcada pela tensão. A trilha segue o caminho, acentuando o clima de uma espera imprecisa, carregada de expectativas.

  12. Farias Filho comentou:

    27.01.2009 - 18h57

    É um trabalho de grande beleza plástica e um mergulho no interior humano. Uma reflexão sobre a existência com um olhar feminino. Bonito e tocante. Parabéns!

  13. Micaela Monte comentou:

    31.01.2009 - 15h19

    Vi neste vídeo um renascimento .... abrir os olhos para uma nova vida.... espiritual.
    Só DEUS pode criar e recriar a Vida com suas poderosas Mãos!!!

    DEUS é nas nossas vidas, Lenice!!!

    Parabéns!!!!!!!!

    Micaela Monte - Psicóloga

  14. MARILENE ELIAS DE MELO comentou:

    02.02.2009 - 21h57

    ACHEI,MARAVILHOSO,MÃOS,ESCUPINDO,MULHERES,TRISTES,ALEGRESFELIZES SÓS MAS, MULHERES EM TODADAS AS FASES DA VIDA.PARABÉNS LENICE VC CONSEGUIUEM TÃO POUCO TEMPO CAPTAR TANTAS EMOÇÕES.AVANTE!
    MARILENE ELIAS --MÉDICA

  15. MARIA NEIDE DA SILVA comentou:

    03.02.2009 - 00h00

    Só vc lenice pode retratar tão bem a alma feminina da menina-mulher, em todas as mutações. So alma de artista pode ter tanta sensibilidade para escultir com tanto maestria, a obra prima feita pela mãos do SENHOR. PARÁBENS, SUCESSOS. maria neide ADVOGADA.

  16. NÉFI VANDERLEY DE AGUIAR comentou:

    11.02.2009 - 20h01

    bem, este trabalho é digno de uma palavra de infinitas possibilidades do enigma da criação e seus simbolos na tradução do comentario que possa lhes mostrar infinitas observações da criação e de seus contestos de representações e simbolos que mostra a maneira de ver o mundo e a obra divinamente criada a mulher como uma dadiva de DEUS em sua infinita observação de ver a homem e a mulher com o talento que lenice queiroga tem de ver a dividade e o divino nas possibilidades eternas de ver o homem como parte deste univerço real e completo e complexo que é a vida criando possibilidades nas artes e de formas aqui tão fenomenais como estar sendo colocado por esta artista de mente brilhande e culta como voce minha a cara Lenice Queiroga voce estar de parabens seu admirador Néfi Vanderley de Aguiar pesquisador historiador e Genealogista . fundador do Instituto Cultural Unitop, instituto Genealogico do Nordeste e Memorial Historico e Cultural da Encruzilhada.

  17. PAULO comentou:

    16.02.2009 - 12h37

    É um trabalho de sentimentos, de expressões do barro, aguçando o imaginário de quem o assiste.
    É uma POESIA DO BARRO!
    Cada expectador cria a sua história!!!

    PAULO !!!

  18. Hélio Soares comentou:

    16.02.2009 - 17h18

    O trabalho tem conteúdo, a proposta é boa a preocupaçãoé mudança brusca da hora do barro, para a foto e para o ser humano.

  19. VICA comentou:

    24.02.2009 - 01h59

    O barro, "matéria Humana", encontra-se com a linguagem da fotografia. Imensa força, sensibilidade presente: passado no presente, presente para o futuro. Nesse encontro o fenômeno artístico acontece e conduz o espectador a outras esferas de compreensão.
    Parabéns Lenice.

  20. Luizinho Ferreira comentou:

    21.05.2009 - 20h13

    Lenice,

    Desculpa pela \"viajada\" no livro.
    Sinto saudades.
    Gostei de seu trabalho.
    É uma obra muito bonita, achei a mesma um pouco hermetica.
    Tudo de bom para você.

    Do amigo, Luizinho Ferreira

  21. Luizinho comentou:

    21.05.2009 - 20h14

    Parabéns pelo trabalho

  22. Suely Ferreira Gomes. A.S. comentou:

    06.08.2009 - 00h04

    Muito interessante, o despertar da artista, e sua arte,ao mesmo tempo, criando para ser ... criada.

  23. Priscila Beltrão comentou:

    08.11.2009 - 23h28

    parabéns pelo trabalho. Introspectivo e moderno, vc é realmente uma grande artista. Um grande beijo da amiga, Priscila Beltrão.

  24. Zel Garrett comentou:

    15.11.2009 - 01h03

    Adorei! gosto muito quando a poética do trabalho faz referência a memória, a lembrança que se mistura com as imagens atuais.

  25. Grace Madger comentou:

    14.12.2009 - 22h11

    DEUS.... começa a modelar o barro e na proporção vai se formando uma imagem de uma menina....com o tempo vai se modelando numa jovem...e esta vai amadurecendo e tendo experiências na vida material e espiritual. O retrato da infância representa todo o passado dela!!!

    Grace Madger
    Missionária

  26. Claudia Hersz comentou:

    16.12.2009 - 15h40

    parabéns, Lenice, muito legal!
    Claudia Hersz
    artista

  27. Laurie comentou:

    19.12.2009 - 15h51

    Oi Lenice! Quanto tempo! Que video legal...Como tu andas? Meu abraço e o de Marcos (meu pai) também!
    Laurie Anderson Lima

  28. Laurie comentou:

    29.12.2009 - 13h47

    Oi Lenice.
    O video é uma leitura da sua visao interior sobre algo. Na verdade eu
    nao entendo muito de arte, mas acho que vi algum aspecto religioso por
    causa daquela referencia do homem nascer do barro.
    Fico feliz por vc!
    Abraços!

  29. Inaldo Cavalcanti comentou:

    08.01.2010 - 13h51

    Um Experimento Experiente

    Ver o vídeo de Lenice é mais do que ver. É meter a mão na massa. Bachelard já denunciou o vício da ocularidade na filosofia ocidental. O vídeo nos convida, bem de dentro da imagem e paradoxalmente, a conhecer a trajetória do corpo-barro com os vários sentidos da mão, a pensar o tempo e a imagem com a sofisticada apreensão de uma presença inteira, indivisa, o conceito e o pé casados para o caminho.

    Para tanto, Lenice lança mão de uma música visceral e dramática, que pontua o signo rupestre, a boneca, a lunetazinha da menina, a própria Lenice que está dentro e fora da oca e que implode o tempo linear, esta música avassala e alucina o barro de nossa atenção, incendeia, para o bem de todos, meticulosamente, o sossego de apenas entender. Pena que o velho Hitchie não ouviu o pessoal d'A Comuna.

    BARR'OCA NÃO NOS BARRA NO BAILE!!

  30. Claudia Rangel (fotógrafa) comentou:

    09.01.2010 - 20h52

    Minha impressão é de uma inspiração orgânica e viceral que remete aos ciclos da vida, desde a criação, tendo como princípio o Barro, passando pela infância, juventude e maturidade. A música traz o clima de mistério profundo que é a vida, cheia de altos e baixos. O nonóclo foi um recurso antigo da fotografia para congelar a vida no tempo presente. Hoje temos as várias fotografias se fundindo na velocidade da imaginação, promovendo um mix perfeito de imagem e som. Retrato em barro digital é surreal...
    Bom trabalho, Lenice!

  31. ivaneide comentou:

    16.01.2010 - 01h03

    É isso aí menina...gostei muito. Este video tem algo de transcendental... Simples, porém original. Rendo-me diante de tanto talento. Arte é tudo de bom e melhor ainda quando se consegue por a alma naquilo que se faze vc. fez isso e muito mais através desse video. colocando a mulher no centro da criação divina. Fico feliz por vc. um grande abraço da amiga meio pernambucana/meio paulista.

  32. Patricia Wittenberg comentou:

    04.02.2010 - 15h06

    Desculpa pela demora não foi má vontade só estava de férias sem abrir e-mail.

    Achei muito interessante a proposta que reune imagens interessantes com uma trilha sonora que se encaixa perfeitamente. Muito bom o trabalho.
    Estou produzindo um curta se precisar de alguém posso contar com você?
    Abraços.
    Patrícia Wittenberg

  33. Robson duarte comentou:

    21.02.2010 - 13h00

    Gestação, nascimento, vida e morte, no seio da terra mãe, ou mãe terra.
    bailarino e coreógrafo

  34. Jefferson comentou:

    30.04.2010 - 09h56

    Gostei muito do conteúdo. Pois é uma verdeira forma de expressar a arte em seu ciclo de criatividade. Abraços! Gostei muito. Jefferson R

  35. Ana Emilia Castro comentou:

    03.05.2010 - 12h38

    Gostei muito do vídeo. A minha percepção é de uma relação entre o real e o imaginário, fazendo referência ao ciclo da vida, nascimento, crescimento, ao mesmo tempo remete a questão do OLHAR, o olhar para si - do individuo, o olhar para o outro e olhar para o contexto - a questão da identidade individual e coletiva.

  36. Marcele Domingues comentou:

    07.09.2010 - 00h38

    “Do BARRO viestes, ao BARRO voltarás”

    Este versículo bíblico traduz este trabalho.
    BarrOca retrata a essência humana no tempo – começo e fim.
    Lembra-nos também que ao envelhecer, voltamos a ser criança.
    Logo que a ARTISTA LENICE QUEIROGA mostrou este filme, consegui relatar tudo o que ele representou para mim, porém não consigo traduzir em palavras a beleza e a profundidade que ele expressa.
    Parabéns por esta obra que retrata a beleza artística e humana.

    Sua filha,
    Marcele Domingues.

  37. ANA CATARINA GALVÃO comentou:

    02.12.2010 - 23h41

    Olá, Lenice!

    É interessante ver as imagens de BarrOca sem música e depois com música. Na minha opinião, observar o trabalho sem a música permite uma maior reflexão, parece que há mais tempo para olhar os detalhes e as mutações das imagens. Com a música o tom muda para algo mais ansioso, mais apressado, embora a beleza e a originalidade do encadeamento de imagens não se altere. Gostei muito do seu trabalho!

    Ana Catarina Galvão

  38. Lucídio Leão comentou:

    02.05.2011 - 19h41

    A trilha e as fotos iniciais dão um tom de suspense, como se algo estivesse para ser desvendado e, aos poucos, as coisas vão tomando forma, como uma metáfora da própria vida.

  39. Daniel Lopolux comentou:

    26.06.2011 - 17h41

    Me deu uma sensação de que uma mulher tentou atraves do barro recriar a sua imagem, perpetuar seus conceitos em um novo ser totalmente moldado por ela. segue uma relação de criador e criatura onde ambos sao o mesmo. muito bom, Lenice. adorei, uma parcepção da origem muito peculiar. sua participação na cápsula foi extraordinária.


    parabens.



    Daniel Lopolux. Documentarista









Descrição:

O vídeo faz parte da seleção do 10º Festival de Vídeo de Pernambuco, de 1 a 3 de dezembro, no Teatro do Parque, Recife (PE).

Jogo de representações, simulacros e visualidades da autora, ao despertar de suas pulsões criativas. No começo era o barro, a terra, o rosto, as figurações de uma mulher em processo de criação.

Esse conteúdo foi criado por:

Lenice Queiroga (diretor/a de arte)

Postado por:

ASCOM - Fundarpe

Autorizado por:
Fundarpe

em 03.12.2008 às 14h03


Tags

10 festival de vídeo de pernambuco, experimental, barroca retrato em barro digital

Direitos autorais:

  • Todos direitos reservados (Copyright)

Denunciar conteúdo impróprio

Lista completa


Conteúdo sob Licença Creative Commons