Pernambuco Nação Cultural

Texto


Avançada

A UM PROVINCIANO*

Domínio público

Descrição da Foto
Manuel de todas as Bandeiras –
Bandeira de “tantos nomes”
Que emana o “eu” profundo
E o “nós” de todos os dias...

Manuel sem fronteiras,
“Sem família, sem religião
Sem filosofia...”
— Ave Maria!
(O crepúsculo... Cuidado!
O silêncio se faz absoluto.
Mas não durma!
Seja prudente, ó aquarela das canções naturais!)
Há uma “estrela da vida inteira”
Pontilhando a “cinza das horas”
No “mafuá do malungo”
Cantando a “lira dos cinquent’anos”
Partindo feito “estrela da tarde”
Sorrindo feito “estrela da manhã”
Com “libertinagem” de criança
Que deixa “o ritmo dissoluto”
Invadir a alma em “carnaval”
E, num “opus 10”, dizer:
— “Belo belo”!

Assim foi o poeta provinciano
Que “nunca soube escolher bem uma gravata”.
E, tísico, vejo-me no “tísico profissional”
Fazendo versos do versejar de um camaleão
“Pernambucano que repugna a faca do pernambucano.”

***



*Homenagem ao poeta Manuel Bandeira

Baixar em formato PDF

Versão para impressão

O que achou deste texto?

Gostei

0 recomendações
1511 acessos

Neste espaço não serão permitidos comentários que contenham palavras de baixo calão, publicidade, calúnia, injúria, difamação ou qualquer conduta que possa ser considerada criminosa. A equipe do portal Pernambuco Nação Cultural reserva-se o direito de apagar as mensagens.









Esse conteúdo foi criado e postado por:

Gilmar Pereira Lima

Autorizado por:
Ponto de Cultura CUCA Recife

em 30.07.2010 às 15h56


Tags

cuidado, filosofia, manuel bandeira, pernambucano, silêncio, crepúsculo, aquarela, provinciano, absoluto, fronteira

Direitos autorais:

  • Todos direitos reservados (Copyright)

Denunciar conteúdo impróprio

Lista completa


Conteúdo sob Licença Creative Commons